Ser gorda ou não ser: Eis a questão!

Isso é o que passa pela minha cabeça há muito tempo. Acho que desde que me conheço por gente sou assim, como direi, gordinha. Quando eu tinha seis meses de idade pesava 15kg e o meu pediatra da época dizia aos meus pais que eu não iria andar com aquele peso todo e que eu precisava emagrecer. Recomendou que eles gastassem bastante minha energia e que pulassem minhas refeições. Nem uma coisa e nem outra aconteceu. Meus pais gastavam minhas energias sim, mas não pulavam minhas refeições. Andei com 9 meses de idade. 
Fala-se muito de preconceito contra os negros, contra os gays, contra os dotados de alguma deficiência, mas ninguém fala do preconceito contra os gordinhos. E bem se vê que o gordo sofre muitos preconceitos. Haja visto pelos estilistas que só fazem roupas pra gente hiper magra (quase pele e osso), pela TV que só tem artistas e apresentadores magérrimos, pelos realitys shows que só tem vez aqueles que são magros e sarados. Não tem problema ser gay, lésbica ou simpatizante, o que importa é ser magro e sarado ou mais pra isso do que pra gordo. Pelos assentos de ônibus e metrô que são bem estreitos e se a pessoa tem um quadril um pouco mais largo que o normal fica esbarrando na pessoa do lado. Isso se outra pessoa sentar ao lado. Eu, particularmente, me sindo péssima com tudo isso. Choro, literalmente, quando tenho que sair pra comprar uma calça jeans ou qualquer outra roupa e volto pra casa depressiva e me achando a pior das criaturas. Parece que só porque a pessoa é gorda ela não tem o direito de se vestir bem. Existe aquelas lojas pra numerações altas, do 48 ao 52 (se for acima de 52 é melhor pegar uma cortina velha de casa e jogar por cima). Mas ainda assim é pessimo porque as roupas desses lugares são horríveis e de péssimo gosto e qualidade. São malhas com estampas feias e cortes todos desencontrados e  calças sem modelagem nenhuma. Fica difícil. Uma vez entrei em uma dessas lojas com o meu marido. Saí com o mesmo pé que entrei. Meu marido me disse: " Fabi, você é gorda e não velha!" Mais uma vez chorei porque 'velho' tem roupas clássicas e bonitas também. Mas pra gordo isso não é possível.
Eu já fiz inúmeros regimes e dietas. Com e sem remédios. Cada vez que saio de uma, engordo o dobro. Já não sei mais o que fazer. Já fui em reuniões de grupos também. Mas é quase que investir em investimentos de longuíssimos prazos. Lento demais que dá até desânimo. Você passa uma semana inteira marcando tudo o que come pra na semana seguinte subir na balança e constatar que todo o seu esforço só rendeu 125 gr a menos. Pra mim, não deu. Não quero emagrecer rápido, até porque não é saudável. Mas quero ver resultados rápidos. Academia é ótimo. Em uma semana você vê resultado. Mas pro meu dia-a-dia não consegui uma academia sequer que atendesse aos meus horários e as minhas necessidades. Infelizmente também não tenho espaço pra ter uma esteira que seja dentro de casa e onde moro, caminhar a noite e sozinho é pedir pra ser assaltado ou coisa pior.
Já passa pela minha cabeça que ser gordo ou magro vai do estado de espírito da pessoa e não do que ela come. Nesse caso, prefiro nem comentar sobre o meu estado de espírito.
Claro que vocês vão me dizer que o que importa é ser feliz. Que devemos nos aceitar e nos amar do jeito que somos. Concordo. E por que é tão difícil nos aceitar??? Engordar, emagrecer, mudar a cor do cabelo, mudar o nariz, aumentar ou diminuir os seios, esticar aqui, puxar ali..... Parece que é só isso que importa. Até pra procurar emprego eles pedem 'boa aparência'!!!
Sei lá, viu, não sei mais o que pensar.
Comecei uma nova dieta, de novo. Quero ter mais um filho, mas não posso com o peso que estou. Quero ver o que vai dar dessa vez. Conto pra vocês depois. Só me desejem sorte!!!

1 comentários:

Renata RZ disse... [Responder o Comentário]

Oi Fá!!
Você é hilária! Dei muita risada com o seu post, apesar de perceber também a sua tristeza por estar acima do peso.
Acho que isso é algo que persegue nós mulheres, principalmente brasileiras. Você sabe, as latinas acham que é obrigatório ser magra. Vc vê que nos EUA e Europa, pelo que se vê os gordos não sofrem preconceito. enfim, não sei o que te dizer a não ser, não desista de ser saudável! Estando se sentindo bem e disposta é o que importa. Eu, por exemplo no momento não estou NADA saudável. Tenho ficado muito parada (e comendo). Assim não dá!
Boa sorte amiga!
Beijos verdes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...