Dessa vez é pra valer!!! Parte I

As coisas na vida da gente vão simplesmente acontecendo e quando nos damos conta já passaram-se anos... E nesses anos, muitos quilos vão se instalando no nosso corpo, no caso o meu corpo....
Eu vou começar hoje a postar um diário de dieta, ou melhor dizendo, de reeducação alimentar, ou ainda, de reformulação de uma vida. Não, o blog não vai mudar o foco não. Vou continuar falando de tudo o que sempre falei e acrescentar mais esse momento da minha vida. Prometo não fazer aquele diário tipo: "Hoje comi pão integral no café, salada no almoço e no jantar e frutas entre as refeições". O que quero, na verdade, é colocar minhas considerações sobre o emagrecimento. As sensações, as aflições, destacar os momentos que mais necessitava fugir das regras, o que mudou, o que não mudou e, claro, o quanto estarei ganhando e perdendo com tudo isso. Este diário também tem segundas e terceiras intenções. Tenho outros projetos com essa empreitada em que me meti. Será um arquivo pessoal.

Hoje, a primeira parte, vou começar com o resumo da minha vida, com relação ao meu peso. 

Desde que me conheço por gente, a balança sempre foi minha inimiga n° 1!!! Quando tinha seis meses pesava 15 kg e o pediatra dizia pra minha mãe que eu não andaria se continuasse a engordar daquele jeito. Minha primeira dieta, então, se deu por volta dessa idade, quando o pediatra instruiu meus pais a pular mamadas e refeições!!! Pediu para que fizessem com que eu gastasse muita energia pra eu cansar, dormir e aí pular as refeições. Minha mãe não fez isso e eu comecei a andar com 9 meses!!!
Daí pra frente foi sempre assim: engorda, emagrece, engorda, emagrece até que com os meus 8 ou 9 anos eu já era gorda mesmo. Pra terem uma ideia, meu apelido era, óbvio, gorda-baleia! Depois sofreu uma evolução quando o filme 'Orca - a baleia assassina' ficou conhecido entre nós, crianças. Depois veio Mamute, da música do Nenhum de nós 'Sobre o tempo', e por aí foi. É, minha gente, eu sofri muito de bullying. Claro que nessa época nem se falava disso. Mas estou aqui, firme e forte. Bem mais forte do que firme!!!
Esse quadro mudou quando me tornei 'Mocinha' (Era como minha mãe, tias e avós falavam do fato de eu ter menstruado). Tinha 11 anos e era bem gorda mesmo. Não sei quantos quilos eu pesava, mas sei que era gorda porque todos me chamavam assim e porque todas as minhas amigas e conhecidas eram magras!!!! Com as alterações dos hormônios, por causa da menstruação, meu metabolismo mudou completamente. Comecei a emagrecer e ganhar corpo. Não fiquei magrela porque minha estrutura é larga. Tenho ossos largos e o peso deve ser de acordo. Com 13 anos eu devia pesar uns 55 kg, mas era o adequado pra mim. Usava tamanho 40. Era jovem, fazia muita atividade física escolar (voleibol, basquete, handebol, atletismo) e comia de tudo, doce principalmente. Como isso, de ser gorda, sempre me incomodava, minha mãe me levou no endócrino quando eu devia de ter uns 15 anos e foi quando aprendi a me alimentar direito. Introduzi tudo o que era saudável, parei com os refrigerantes em definitivo e com os doces fora de hora, alimentava-me de três em três horas e isso foi a chave pra manter meu peso de 57 kg por mais de 10 anos. É isso mesmo: eu fui magra por mais de 10 anos!!!! Mas, como a gente relaxa, de vez em quando, comecei a sair da linha :-( 
Com  25 anos estava pesando 67 kg. Engordei 10 kg em dois anos e alguns meses!!!! Foram aqueles quilinhos que vão surgindo do nada e a gente nem percebe. Já usava manequim 42, com ajustes na cintura, que era fininha. Casei com 26 anos e pesava 73 kg. Em um ano eu ganhei 6 kg. Claro que conforme a grande data vai se aproximando, a ansiedade ajuda a perder peso. E eu perdi peso, mas eles me encontraram e resolveram voltar. Engravidei 5 meses depois de casar. Pesava exatos 77 kg!!!! Opa, 4 kg em cinco meses!!!! Bobagem, né. Isso não é nada!!! É sim, minha gente, é muita coisa. Mas acha que eu estava ligando pra isso. A minha amada Dra Ana (Ginecologista e obstetra) me deu um baita puxão de orelha. Deu uma super dieta que eu segui a risca, bonitinha. No final da gestação, eu havia engordado 11 kg. Pouco, considerando que o normal é ganhar de 9 a 12 kg; muito porque eu já estava no limite!!! Com o nascimento da minha filhota, os 11kg a mais foram embora em 15 dias. E depois, como continuei com a alimentação super saudável e certinha (pois amamentava a minha cria) continuei emagrecendo dia após dia. Que alegria :-)
Mas alegria de pobre dura pouco mesmo, né. Fui começando a engordar, a engordar, a engordar.... E daí pra frente, a balança se tornou peça de museu. Não piso em uma nem por decreto lei. A não ser quando o meu clínico geral (Dr. Geórgios) manda. Aí, eu obedeço. E numa dessas eu quase tive um ataque: passava dos 80kg!!!! Comecei a tomar os medicamentos para emagrecer. Passei com outro endócrino e junto com as dietas, introduzi os medicamentos inibidores de apetite. Foi uma festa de medicamentos: uma hora era anfepramona, noutra era fluoxetina, depois a sibutramina e por aí vai. Conheci todos. Ano após ano estava eu lá tomando remédio pra emagrecer. Claro que dava certo, mas depois engordava tudo de novo. Era um círculo vicioso. Até que um belo dia eu passei mal. Passei mal mesmo.... tive um piripaque básico de desmaiar, ver tudo rodando, palpitação, suadouro, tudo junto e misturado. O que nunca tinha sentido antes, deu tudo de uma vez só. Fui parar no hospital e depois no consultório médico. Realmente, foram os remédios. O Dr. Geórgios disse pra mim: 'Você precisa decidir o que é importante pra você: ser magra ou viver?'. Com uma filha pequena, não podia colocar minha vida em risco por causa dela. Parei com tudo. E aí foi uma fartura de tudo. Uma beleza, festa todos os dias!!!! Ninguém dorme com 50kg e amanhece com 100kg. Isso vai acontecendo aos poucos. Nesse post aqui eu já demonstrava minha insatisfação e o susto com o meu peso. Era pra ter mudado de direção lá. Mas só serviu pra me deprimir mais e comer mais.
Mas a idade vai chegando e com ela tudo vai incomodando. Um espinha aqui, uma dor na perna ali, o cabelo  ressecado, a roupa que marca e não serve, etc e etc. Resolvi que quero mudar tudo e agora. Passei numa nutricionista. Vou emagrecer e sem medicamentos. Está decidido. É pra valer. Tive que subir na balança de novo. E dessa vez foi mesmo a gota d'água que fez o copo transbordar. Não ouso dizer o peso exato, mas posso dizer que quase atingi os três dígitos!!! 
Comecei a me odiar naquele instante como nunca tinha acontecido antes. Como eu pude fazer isso comigo??? Como pude descuidar e relaxar tanto??? Os problemas, as encucações, as depressões, a ansiedade que me 'fizeram' engordar deixaram de existir por causa dos quilos a mais???
Basta. Definitivamente basta. 

Continuamos num próximo post.

Até mais.

10 comentários:

A Designer de Joias disse... [Responder o Comentário]

fabi querida, estou com voc~e amiga nessa...comecei na sexta uma modificação psicológica em mim quanto a isso e agora estou aos poucos modificando minha alimentação....e vou conseguir...com a força da minha mais nova protetora da Dieta N. S. de Fátima...e vamos nós duas conseguir eliminar peso...Amém....Bjos fabi...to contigo nessa!!!!

Katima disse... [Responder o Comentário]

Olha só de você decidir que fará algo já é começo, em 2009 estava muito acima do peso, e como tenho hipotiroidismo, fiquei preocupada fui a uma nutricionista, fiz ginástica e drenagem linfática, perdi os quilos que queria, e tenho me vigiado. Com força de vontade você consegue. Estou torcendo por você.
Beijos
Kátima

Casa de Lola disse... [Responder o Comentário]

Oi Fabi,
estou na torcida pra que vc consiga atingir seus objetivos, saiba que não será fácil, porém não é impossível, força amiga e siga em frente sempre.
Beijos
Lola BH

Juliana disse... [Responder o Comentário]

Oi Fabi passando para ver como anda as coisas e como sempre seus posts são demais, rsrsrs! Dificil ver alguém escrever hoje em dia viu, só vemos cópias...
Nem me fale sobre balança quero ela longe de mim... Bjus e bom restante de semana!

selgimenes disse... [Responder o Comentário]

Fabi, eu entendo você, e como entendo. Já fiz tantas loucuras para emagrecer, e remédio é um deles. Como sou uma ex-atleta (amadora – mas atleta rsss) eu posso tomar todos os remédios do mundo, mas se o exercício não acompanhar, de nada adianta. Já tem uns três meses que optei pela caminhada. No início foi difícil e – para minha surpresa, hoje me faz falta o dia que não caminho. Ainda não vi diferença no peso, mas o caminhar me tem feito bem principalmente com a ansiedade. Foi na caminhada que encontrei um tempo para mim, um tempo para refletir, rever a forma de vida, priorizar algumas coisas entre elas: Eu. Fabi, você já é uma vitoriosa! Estou com você

Casa de Lola disse... [Responder o Comentário]

Oi Fabi,
querida o Daniel é meu sobrinho querido filho do meu irmão mais novo, ele nasceu de 08 meses, foi um susto, mas Graças a Deus, correu tudo bem e ele nasceu com saúde e está cada dia mais lindo.
Beijos
Lola BH

Ich, Hausfrau disse... [Responder o Comentário]

Oi Fabi... tenho certeza de que com a sua força de vontade vc vai não entra nessa pira de tomar remédios, ok! Força na peruca que vai dar tudo certo! bjos

Nessinha Carvalho disse... [Responder o Comentário]

REALMENTE A GENTE DEIXA O TEMPO PASSAR QNDO VÊ ESTAMOS LÁAA
MAIS NUNCA EH TARDE

BOA SORTE

LINDA AMEI O BLOG JA TO SEGUINDO
TE ESPERO NO MEU?

BJOX

★★ GIZA ★★ disse... [Responder o Comentário]

olá minha doce amiga!!!
nem me fala tô precisando de uma dieta tmb...
te gosto muito!!!
visite meu novo cantinho:
http://aloneinthedark30.blogspot.com/
beijos

Sonica disse... [Responder o Comentário]

Muito bem Fabi!
Parabéns pela decisão, também estou nestas tentativas, mas sem veneninhos! Chega destes comprimidos!
Vamos conseguir, vc vai ver só!
Bjs,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...